Histórico

As glebas do Parque pertenciam a antiga Usina Açucareira Vassununga. A necessidade de se preservar as maiores e mais belas florestas de jequitibás-rosa (Cariniana legalis) e os animais silvestres ainda existentes na região, levaram o Governo do Estado de São Paulo a criar o Parque Estadual de Vassununga, no dia 26 de outubro de 1970, através do Decreto No 52.546. A categoria de Parque foi dada devido a biodiversidade, as belezas cências, a importância histórico cultural, a localização e o potencial turístico.

Sobre o Parque

O Parque é área de grande destaque ecológico, por representar um dos últimos remanescentes de vegetação natural outrora existentes na região, um relicário de fauna e flora. Abriga a maior concentração de indivíduos de espécies Jequitibá-rosa, incluindo o maior exemplar paulista acessível a visitação pública. Suas áreas de floresta encontram-se em regiões de colinas, escarpas e planícies fluviais, que observado à distância têm-se uma bela paisagem, com a floresta despontando, destacando-se as copas dos enormes exemplares de jequitibás-rosa.

Sobre a Região

No passado, a ocupação agrária na região de Santa Rita do Passa Quatro se deu inicialmente pela pecuária e agricultura de subsistência e, posteriormente, a partir de 1850, pela cultura de café.

Era prática comum dos antigos proprietários rurais à manutenção de reservas de florestas que eram deixadas por vários motivos, dentre eles: conservação do solo para futura expansão dos cafezais; litígios jurídicos sobre os títulos de propriedade; áreas de maior declividade (furnas, nascentes e mananciais) para viveiros naturais de mudas de café, retirada de madeira para construções, prática da caça e proteção ambiental. As áreas naturais preservadas no Parque Estadual de Vassununga (PEV) são um exemplo destas práticas.