Pesquisadores listam 411 espécies de aves em Teodoro Sampaio

Eles constataram que diversas espécies estão em perigo de extinção no estado de São Paulo

Localizado no extremo oeste paulista, o município de Teodoro Sampaio resguarda o Parque Estadual do Morro do Diabo (PEMD), o maior remanescente de Mata Atlântica Estacional Semidecídua (33.845,33 ha). O parque abriga o maior número de espécies da avifauna registrada no Pontal do Paranapanema. Estudos ornitológicos ocorrem na região desde 1979. Edwin Willis e  Yoshika Oniki foram os primeiros a chamarem atenção para as espécies de aves que estavam desaparecendo do interior de São Paulo, evidenciando dados científicos que contribuem até hoje na proteção e conservação das espécies.

Até 2006, a região do Pontal do Paranapanema abrigava 323 espécies de aves, entretanto não havia uma lista das aves encontradas estritamente em Teodoro Sampaio. Em 2015/2016, Vagner Cavarzere desenvolveu o projeto: Aves do Interior de São Paulo, cujo objetivo foi determinar o desaparecimento das espécies de aves endêmicas da Mata Atlântica paulista e paranaense. Além do escopo do projeto, Cavarzere e sua equipe listaram 304 espécies no município.

Em continuidade a essa linha de pesquisa para contribuir ainda mais no incremento de espécies em Teodoro Sampaio, em 2017, os pesquisadores Paulo Antônio Silva, da Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE), Wilton Felipe, biólogo e monitor ambiental do PEMD, Vagner Cavarzere, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), e os voluntários/observadores de aves José Roberto Pireni e Gustavo Muniz decidiram juntar esforços no levantamento de aves no PEMD, entornos, vicinais e área urbana de Teodoro Sampaio.

O compêndio elaborado pelos pesquisadores apontam 411 espécies de aves em Teodoro Sampaio, contando com diversos registros ineditamente documentados para o PEMD. Algumas foram registradas em fragmentos florestais isolados, mas que até então não haviam sido observadas na floresta da UC, e outras que não eram registradas desde o final da década de 1990. Os pesquisadores analisaram o grau de conservação das aves e constataram que diversas espécies se encontram em perigo de extinção globalmente ou no estado de São Paulo como: águia-cinzenta (Urubitinga coronata), gavião-do-banhado (Circus buffoni), gavião-de-penacho (Spizaetus ornatus), mãe-da-lua-gigante (Nyctibius grandis), entre outros.